Tenho Pouco, posso Investir?

A grande pergunta que todos fazem é se com pouco se pode fazer algum investimento. Para os realmente pequenos, que tem poucos recursos para serem colocados de lado numa determinada aplicação, quase sempre vem a mente a aplicação mais antiga do Brasil: a Caderneta de Poupança.

Aliás nem mais é caderneta – e isso há muito tempo -, pois tudo agora é digital, não tem caderneta nenhuma. Entretanto antes de investir saiba que:

  1. Você pode colocar seu dinheiro em vários tipos de investimento, muitos com até menos de R$100
  2. Você precisa deixar esse dinheiro por um prazo mínimo, em geral deve-se imaginar pelo menos 3 meses
  3. Mas você precisa ter essa quantia disponível – isto é, você não pode comer ela (isto é, tem que ter uma boa certeza de que não precisará desse dinheiro para comer, vestir ou tomar a condução para o trabalho)

O importante é frisar que, mesmo sem uma grande quantia em dinheiro para investir, é possível realizar aplicações financeiras. Mesmo assim elas podem ser vantajosas e oferecer bons retornos para o pequeno investidor. E com certeza é muito melhor do que deixar o dinheiro parado em seu colchão.

Basta tomar os devidos cuidados e escolher as melhores alternativas.

Em primeiro lugar, você deve avaliar a sua situação financeira, para se certificar de que o dinheiro que será aplicado não poderá acabar fazendo falta em algum momento. Ou seja, é necessário você ter certeza de que de fato terá condições de arcar com as suas despesas rotineiras sem precisar retirar o valor que você acabar investindo.

Até na poupança, se você precisar resgatar o que investiu, em menos de 30 dias, perderá todo o rendimento.

Exemplificando: você recebeu seu salário e viu que sobraria R$120,00 – colocou no dia 5 esse valor numa poupança – mas no dia 25 você lembrou que precisava pagar um carnê, e tirou R$100,00 da poupança.

Ora pois: pagar o carnê você conseguiu, mas vai render apenas sobre os R$20,00 que sobraram na poupança; e os rendimentos sobre os R$100,00 que ficaram “quase” um mês? sentimos muito, mas você não receberá um único centavo de rendimento sobre a parte que você sacou antes da hora

Portanto, antes de começar a ser um pequeno investidor, não precisa saber muito, mas apenas calcular quanto do salário vai realmente sobrar, e portanto quanto você poderá investir, sem se arriscar a gastar sem uma forte razão.

Então antes de passarmos aos tipos de investimentos mais fáceis, de prazo menor de carência (tempo que você não pode, ou não deve, resgatar para evitar perdas maiores), e que permitem investir pequenas quantias de dinheiro, por favor faça as contas de quanto você recebe e desconte as contas a pagar, as despesas de alimentação, vestuário, transporte, saúde e da manutenção da casa.

Verifique se em algum momento, em menos de três meses pelo menos, você precisará pagar alguma dívida, ou terá uma despesa fora da rotina, que não possa ser adiada.

Quando tiver certeza de quanto poderá investir, te mostraremos as melhores opções ao teu alcance.

Ah! uma coisa que é importante você saber:

Embora seja melhor investir um pouquinho todo mês, também é possível investir apenas quando for sobrar algum (seja por que vc recebeu um aumento, recebeu o 13º ou parte das férias, fez um bico, etc). O importante é ter certeza de que não precisará usar esse dinheiro investido antes da hora!

Até breve, volte logo, pois continuaremos falando sobre investimentos para os pequenos…

Estratégias para um cérebro mais saudável

Algum esquecimento, como ocasionalmente acontece conosco como o do dia de pagar uma conta ou a dificuldade para lembrar uma palavra, é normal em qualquer idade. Mas o declínio cognitivo, como o de lutar constantemente para lembrar as contas mensais ou manter o foco nas conversas, com certeza não é uma parte natural do envelhecimento.

A verdade é que sua mente, assim como seu corpo, é sempre capaz de mudar para melhor ou para pior. O grau e a natureza dessa mudança têm menos a ver com a idade e mais a ver com ação. Como acontece com seu corpo, o desempenho da mente melhora com um treinamento adequado e consistente.

Leia as cinco estratégias comprovadas pela ciência que você pode começar a usar hoje para construir um cérebro mais forte:

  1. Mexa seu corpo: Quando se trata de treinar o cérebro, seu corpo é uma parte essencial da fórmula. O exercício é a coisa mais importante que qualquer pessoa pode fazer para melhorar a função cerebral e a resiliência a doenças.
  2. Estimule sua mente: Se você sempre quis aprender outro idioma, isso é um grande impulso. Considere tentar algo novo, como uma aula de culinária online, começar um novo hobby ou ler um livro de não ficção que está fora do seu escopo de especialização.
  3. Descanse o corpo e cérebro: O sono não é apenas um período de descanso, mas um processo de restauração essencial que afeta todos os sistemas do corpo. Isso é especialmente verdadeiro para o cérebro, que depende de um sono profundo de qualidade todas as noites para a consolidação da memória. Outro aspecto importante é dar-lhe pausas regulares do estresse. Isso é vital para a saúde do cérebro, pois um alto nível do hormônio do estresse cortisol está relacionado à inflamação do órgão, ao declínio cognitivo e ao aumento do risco da doença de Alzheimer.
  4. Abasteça seu cérebro: Não há como negar que os alimentos e as bebidas que consumimos podem ter implicações positivas ou negativas para a saúde. Como tal, optar por certos alimentos e limitar outros pode ajudar a promover a saúde do cérebro e prevenir seu declínio.
  5. Conecte-se com outras pessoas: Os seres humanos são sociais, por isso não é surpreendente que os relacionamentos desempenhem um papel na saúde do cérebro. É importante cultivar ativamente os relacionamentos existentes, por meio da comunicação, regular e promover novos relacionamentos, participando de novas atividades.

Riscos cibernéticos relacionados ao Coronavírus

Cada dia que passa da quarentena ocasionada pelo Coronavírus, mais oportunidades aparecem para usuários mal intencionados se aproveitarem para realizar diversos tipos de fraude.

Os principais golpes utilizando o tema do Coronavírus incluem campanhas de phishing (por email, SMS ou por redes sociais) para a captação de dados pessoais ou para a infecção dos smartphones das vítimas, os aplicativos falsos, com trojan, que se fazem se passar por mapas em tempo real sobre a pandemia, além de ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS), esquemas de fraude digital para captura de dados de cartão, coleta de donativos, ou cobrança de serviços.

Foram registrados diversos relatos e notícias de que os cibercriminosos estão usando o Coronavírus como tema para seus golpes de engenharia social, incluindo mensagens e sites maliciosos (phishing) desde o início da declaração de pandemia. Além disso, já foram identificados sites e aplicativos falsos para celular para disseminar trojans. Alguns relatórios da indústria estimam que milhares de novos domínios maliciosos, com o tema do Coronavírus, surgem todos os dias: entre 14 e 18 de março do ano passado, foram criados 3.600 nomes de domínio suspeitos, contendo a palavra “coronavirus”.

Para identificar uma mensagem suspeita, siga as dicas:

  • verifique se o nome no link da notícia recebida é de um site válido e faz referência ao site que promete ser;
  • busque por erros de português;
  • desconfie sempre de grandes vantagens e promoções;
  • acima de tudo: na dúvida, não clique no link e não compartilhe com mais ninguém.

Você cairia num Golpe?

Se tenho um pingo de experiência, ninguém responderia à essa pergunta com um SIM. Mas a vida tem mostrado, década após década, que todo mundo é uma potencial vítima de um golpe, principalmente agora , numa época de internet e redes sociais.

Um expert na psicologia dos golpes, e que escreveu até mesmo um livro sobre isso, em seguida descobriu que tinha caído numa das maiores fraudes financeiras do mundo.

Mas por que somos tão facilmente enganados?

Isso é uma coisa que acontece com os outros, não comigo“: É assim que as pessoas costumam pensar sobre golpes financeiros. Elas olham de fora e pensam “nossa, coitado, como não percebeu que estava caindo num golpe?”. Daí vem o balde de água fria. Essa mesma pessoa que achava óbvio o golpe de ontem acaba caindo no de amanhã. Porque a verdade é que todos nós somos potenciais vítimas de um golpe financeiro.

OK, todo mundo cai, mas EU não cairia“: É natural pensar que, se você conhece os sinais de um golpe, vai ser fácil identificar ele na vida real. Mas a história depõe contra. Veja o caso do Dr. Greenspan. O pesquisador Stephen Greenspan, PhD em psicologia, escreveu em 2008 o livro Annals of Gullibility: Why We Get Duped and How to Avoid It – um ensaio sobre por que somos enganados e como evitar.

Dois dias depois de pegar seu livro em mãos, o Dr. Greenspan descobriu que havia sido vítima de um dos maiores esquemas de fraude financeira da história – ele havia dado seu dinheiro nas mãos do operador financeiro Bernie Madoff, que conduzia um Esquema de Ponzi.

Como funcionava o Esquema de Ponzi?: Ele funciona basicamente assim: os clientes dão controle a uma pessoa ou empresa para administrar suas finanças, investir e devolver com lucros. Mas, na prática, o fraudador vai usando o dinheiro de novos clientes para pagar os antigos e, na lábia, convence as pessoas a continuarem a investir. Afinal, se muita gente quiser retirar o dinheiro de uma vez, o esquema quebra e é revelado.

Foi o que aconteceu com Madoff em 2008. Ele foi preso e condenado a 150 anos de cadeia, mas não sem antes fazer quase 37 mil vítimas – desde figuras de destaque (como celebridades de Hollywood) até pessoas comuns que haviam confiado suas economias de toda uma vida a ele. Ou seja: se o Dr Greenspan (literalmente um especialista na psicologia dos golpes) caiu em um esquema fraudulento, todos nós também estamos sujeitos a cair num deles. As pessoas são ruins em perceber quando estão sendo enganadas. O próprio Dr. Greenspan falou sobre isso em uma entrevista após ser enganado.

Outro fator importante é o medo de perder uma oportunidade. Golpistas anunciam seus esquemas como algo incrível, que poucas pessoas descobriram até agora – mas que está prestes a estourar e aí vai ser tarde demais para participar. Criam um senso de urgência, fazendo com que as pessoas ajam sem pensar muito.

Isso se aplica a qualquer tipo de golpe: O esquema de Bernie Madoff era extremamente sofisticado, mas fraudes muito mais simples podem fazer ainda mais vítimas em nosso dia a dia. Algo tão comum quanto um anúncio de promoção nas redes sociais pode ser um golpe: você clica, é direcionado para o site da loja, insere seus dados e compra. Só que aquela página era falsa e você acabou dando suas informações para um fraudador – que pode usá-las para se passar por você ou gastar seu dinheiro.

A arte de comer pelas beiradas: Também faz parte da psicologia dos golpes ir ganhando a confiança da vítima bem aos pouquinhos. Pense assim: se alguém te ligar e, de cara, perguntar seu número e senha do cartão você não vai responder, certo? Mas um bom golpista vai fazendo perguntas inofensivas, te ganhando com carisma. Sem perceber, você vai se abrindo. Começa a revelar informações cada vez mais pessoais, como o nome de um bicho de estimação, o aniversário da sua mãe, a rua em que mora… Todas aquelas perguntas comuns usadas para recuperação de senha em sites. Basta uma informação chave no meio de várias outras que parecem inúteis e pronto: o golpista fez sua vítima.

A vergonha e a falta de denúncias: Um estudo da Comissão Europeia revelou que 40% das vítimas de fraudes não contam o que aconteceu para ninguém. A maioria sente vergonha de ter caído no golpe ou deixa de denunciar para a polícia porque sabe que, na maioria dos casos, não há nada que possa ser feito para recuperar seu dinheiro. Com isso, fraudadores conseguem fazer dezenas, centenas e até milhares de vítimas antes de serem pegos.

Tempos difíceis nos tornam mais vulneráveis: Desemprego em alta e pandemia são condições ideais pra fraudadores, porque eles se apoiam em promessas nas quais queremos desesperadamente acreditar. Os ataques de phishing, por exemplo, dobraram em janeiro de 2021 em relação a 2020.

Como se proteger então? Não há uma resposta ideal, porque golpistas são muito bons em derrubar nossas barreiras – e estão sempre se aproveitando das circunstâncias para encontrar novas iscas. Mas duas frases são chave para ajudar a reconhecermos um golpe:

  • Se parece bom demais para ser verdade, muitas vezes não é verdade mesmo. Esses papos de “dobre seus investimentos” ou “ganhe dinheiro sem trabalhar quase nada” são quase sempre chamarizes para esquemas fraudulentos.
  • Nenhuma oportunidade é tão urgente que não valha a pena investigar antes. Não caia nessa de “promoção esgotando”, “últimas vagas neste curso imperdível” ou até em um atendente de banco que diz que você precisa passar seus dados ou entregar seu cartão porque ele foi clonado.

Finalmente, não esqueça que não há vergonha em cair num novo golpe, literalmente todos podem cair em algum golpe, mas falar sobre isso é a única forma de espalhar as informações para que outros não caiam no mesmo que você caiu.

IGP-M (Julho)

A FGV divulgou o IGP-M, que é o Índice Geral de Preços – Mercado, de julho, que variou +0,78% em julho, contra +0,60% em junho.

Com isso, este índice – que regula uma grande série de investimentos -, já acumula alta de 15,98% no ano e de 33,83% nos últimos 12 meses.

Em julho de 2020, o índice havia subido 2,23%.

» Este artigo foi originalmente publicado no Blog Investemente
» Confira o artigo completo aqui

Faça atividade física no dia a dia

A possibilidade de ser fisicamente ativo pode estar escondida em sua rotina

Algumas atividades do nosso dia a dia podem trazer diversos benefícios para o nosso corpo. E não é do gasto calórico que estamos falando, mas da adoção de alguns hábitos que podem te ajudar a ser fisicamente mais ativo. De acordo com a publicação Saúde Brasil 2015/2016, as doenças crônicas não transmissíveis, hipertensão arterial e diabetes, foram as responsáveis por 74% dos casos de morte, no Brasil, em 2012.

Precisamos reforçar que a prática regular, e não apenas esporádica, de alguma atividade física tem um impacto positivo na prevenção dessas doenças. Mas alertamos que só isso não faz a diferença na vida das pessoas, é preciso existir uma mudança de outros hábitos.

A questão do estilo de vida torna-se pertinente principalmente nos tempos atuais em que temos tantos recursos tecnológicos que favorecem o conforto ao nosso alcance. É um elevador que facilita a chegada a um determinado andar, é o controle remoto que comanda a TV sem muito esforço, o celular e computador que te prendem na mesma posição – e quase sempre ela é de repouso.

Optar pela academia ou praticar algum esporte, por exemplo, tem um impacto maior no seu gasto calórico, mas nem sempre é viável para todas as pessoas e nem necessariamente é a única saída para estar em movimento. Aqui as atividades domésticas também surgem como um apoio para te manter mais ativo.

A OMS recomenda 150 minutos de atividade moderada ou 75 minutos de atividade intensa, ou ainda uma combinação entre as duas. Além disso, recomenda-se a realização de exercícios de fortalecimento muscular pelo menos 2 vezes por semana.

Confira abaixo seis tarefas que estão escondidas na sua rotina e que valem como atividade física:

1 – Nada de ignorar o olhar de “pidão” do seu cachorro

Já parou para pensar que o seu bichinho pode ter passado o dia todo sem se movimentar tanto? Que tal unir o útil ao agradável e garantir a saúde de ambos? Levar o cachorro para passear é uma atividade aeróbica super prazerosa. Além de saudável, ela ajuda a estreitar os laços afetivos com seu companheiro.

2 – Sabia que atividade doméstica também é atividade física?

Quem diria que essa tarefa tão rotineira te traria benefícios além da limpeza, né? Tirar o pó, varrer ou esfregar o chão são atividades físicas aeróbicas, que é uma modalidade importante para estimular o sistema cardiorrespiratório. Você pode ainda ligar uma playlist animada e trabalhar no ritmo da música!

3 – Aviso: elevador em manutenção

Em casa, no trabalho ou na rua, faça de conta que o elevador está em manutenção e dê uma chance para as escadas! Essa é a atitude mais lembrada quando se fala em opções de atividades físicas no dia a dia. Além de aumentar a frequência cardíaca, a prática trabalha músculos importantes das regiões dos glúteos e pernas.

4 –  Não subestime o seu quintal

Cuidar do jardim tem o benefício de estar perto da natureza e servir como prática de atividade física. Capinar, cavar, plantar, regar e passar o rastelo são tarefas que recrutam bastante os músculos dos membros superiores, da região abdominal e dorsal (costas). Se você optar por fazer uma horta, por exemplo, ainda garante um incremento saudável na sua alimentação.

5 – Seu carro também precisa de cuidados

Além de economizar, você ainda vai estar praticando alguma atividade física. Melhor ainda se essa lavagem for feita com baldes, pois vai recrutar ainda mais a sua força e te fazer agachar algumas vezes. Além de ser uma forma consciente de consumo da água.

6 – Lavando roupa à moda antiga

Todo mundo sabe que na correria fica quase impossível abrir mão da máquina de lavar. Mas existem peças que sempre merecem mais atenção. Que tal aproveitar e separar algumas para lavar à mão? Essa também é uma atividade cujos movimentos trabalham os músculos dos membros superiores.

Mas Saúde e Segurança vêm em primeiro lugar!

É sempre bom lembrar que um profissional da saúde deve ser consultado antes de iniciar qualquer atividade física, principalmente se existem fatores de risco associados, como lesões ostearticulares e doenças como a hipertensão arterial, diabetes e problemas cardíacos. Mesmo no caso de tarefas domésticas ou rotineiras, algumas limitações físicas podem inviabilizar a execução.

Respeitar seus limites é tão importante quanto a prática!